Viver

Copyright © João Paulo Canário

Viver, como direis não?
Viver, apesar de todos os medos.
Cantar, apesar de todos os ruídos.
Amar, apesar de todos os tropeços.
Ser, apesar de todos os conflitos.

Há mais além do pesar de viver,
Há o cantar de uma poesia,
Há sempre uma flor a nascer.

Supliquei que me mostrasses o porquê
Que, a mim, me trouxe à vida.
Porque há tanta dor se tu
Poderias extinguir com um só olhar?
Da sua Beleza, os pobres mortais tem esquecido.
Vivem na sombra da sombra de tudo o que há.

Se o que há não é o que é,
Então porque hei de viver assim?

E em um sonho tu me vieste,
Sentou-se ao meu lado
E me contou que a vida é simples.
Beijou-me a face e falou que eu continuasse,
Não por meu transitório querer,
Mas porque é meu dever.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: