Liberdade

Copyright © Carlos Eduardo

Se de mim a caneta tomarem
E minhas mãos amarrarem,
Cantarei aos ventos meus versos,
Ecoarão por todo o Universo.

Eu não escrevo por minha vontade,
Trago em minha a alma a necessidade
De revelar ao mundo o Amor
Que ela transmite pela minha dor.

E se minha língua for arrancada
Nem assim ficarei estancada:
Dançarei até o meu corpo desfalecer
E minha alma livre ser.

Não a prendem corrente nem prisão
Só o amor é minha escravidão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: