Hamlet

Para essa história não há invenções,
Narrarei os fatos tal como são.
Esteja preparado para o que vier,
Ouvidos abertos para o que eu vos disser.

Um jovem desolado, de alma nobre,
Vítima da traição de ganancioso torpe
Que seu pai assassinou para rei ser
E sua mãe, em seu incestuoso leito, ter.

Do príncipe, a aflição virou angústia
E ao anseio de vingança uniu-se a sua astúcia.
Fez o criminoso sentir-se ameaçado,
Realizando o plano genial que havia traçado.

Não tinha ele, que as amarras do destino
Geraria sobre os fatos desenrolados, o tino.
Sangue escorreu de suas justas mãos
E nada mais estava sob controle então.

Intrigas e suspeitas lhe foram acometidas
Pois sua nobre alma não era entendida.
Sobre ele lançaram infiéis armadilhas
Que ao final enlaçaram quem as acolhia.

“Há mais mistérios entre o céu e a terra
Do que supõe nossa vã filosofia”
E se isso a ti também angustia
A alma do príncipe em ti se encerra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: