Arquivo da categoria: Teatro

Máscara

Copyright © Walter Ney

Nesta vida somos atores,
Estando sempre a fingir,
Com os lábios a sorrir
Para ocultar as nossas dores.

Que a alegria é tão fugaz
Como a fumaça dissipada
Que em pouco tempo se acaba
E faz da tristeza mais voraz.

E vivemos feito loucos
A contentar-nos com tão pouco.
E alguns afirmam ser felizes
Mas nem acreditam no que dizem.

Porque, quando a sós, se deparam
Com o que de real esconde a máscara.

Anúncios

Sonho de uma Noite de Verão

Neste último final de semana, participei de uma pequena apresentação de esquetes de Shakespeare. Fizemos alguns trechos de Sonho de uma Noite de Verão, Hamlet e Romeu e Julieta.

Eu, como Puck

Sonho de uma Noite de Verão

Preparem-se para uma noite de sonhos,
Mas de olhos bem abertos eu proponho.
Nesta comédia tudo pode acontecer
Quando uma confusão eu irei cometer.

O jovem Lisandro é por Hérmia enamorado
E, da linda Hérmia, é ele, o seu amado.
Mas como as causas do coração
Obedecem aos destemperos da razão,

Demétrio também quer Hérmia para si.
Coitada, Helena ama Demétrio, mas ele dela ri.
Porém o pai de Hérmia, Egeu
Não quer que Lisandro seja genro seu.

E sim, Demétrio, o qual ela não ama.
Então, eles fazem uma trama.
A noite se encontram na floresta para fugir
Demétrio vai atrás dos amantes para impedir

E Helena, coitada, com a esperança de ser amada.
Meu Mestre, Oberon, o Rei das Fadas
Pede que eu, Puck, use a magia de uma flor
Para despertar em Demétrio o Amor

E me pede pra procurar um anteniense
Mas eu erro os olhos por acidente
E em Lisandro é que ocorre o encanto
Ah, o resto, é uma confusão de causar espanto.
(Keilla Menezes)

“Pela floresta andei e andei e andei e
Sinto dizer, nenhum ateniense encontrei
Nos olhos de quem pudesse pingar
Esta flor com poder de fazer amar
É noite, e é silêncio – quem está cá?
Roupas de ateniense está ele a trajar.
Esse é ele, como meu mestre disse,
O que desprezou a bela virgem;
E, aqui, em sono profundo, a donzela.
Num montinho úmido e sujo de terra.
Bonita alma, ela não se atreve a deitar.
Com esse grosseirão que não sabe amar.
Seu bruto, em teus olhos agora pingo
Toda a força que trago neste feitiço.
Quando acordares, perderás o sono:
Por causa do amor, não pregarás o olho.
Acorda, criatura, quando eu me for;
devo agora voltar ao meu senhor.”

(William Shakespeare – Sonho de uma Noite de Verão – Ato II, Cena I)

Puck vê Lisandro

Puck vê Hérmia

Puck faz o feitiço em Lisandro

Julieta

“É só teu nome que é meu inimigo. Mas tu és tu mesmo, não um Montéquio. E o que é um Montéquio? Não é mão, nem pé, nem braço, nem rosto, nem qualquer outra parte pertencente a um homem. Ah, sê outro nome! O que há em um nome? Aquilo a que chamamos rosa, teria o mesmo e doce perfume sob qualquer outra designação.”

Romeu e Julieta


“Com as asas leves do amor superei esses muros, pois nem mesmo barreiras de pedra podem impedir a entrada do amor. E aquilo que o amor pode fazer é exatamente o que o amor ousa tentar.”

“Oh, abençoada, abençoada noite! Temo, por ser noite, que tudo não passe de um sonho, sonho tão doce e lisonjeiro que não seria substancial.”
(William Shakespeare – Romeu e Julieta – Ato II, Cena II)

Fotos de Rafel Viana

Há um lugar que pertence a mim?

Tem 1 semana que fui a minha terra natal, Salvador. Levei daqui de Curitiba alguns ingredientes para preparar receitas que minhas irmãs queridas nunca tinham provado. A primeira que fiz é a famosa Torta Banoffi. Aqui, essa torta marca presença em qualquer doceria e é bem tradicional para o paladar do curitibano. É simples e deliciosa, como as coisas mais saborosas devem ser! O segredo está em prepará-la com finos ingredientes e garanto: vai ser um sucesso!

Torta Banoffi

Ingredientes:

1 pacote de biscoito maizena
50g de manteiga sem sal
2 col. (sopa) de açúcar refinado
400g de doce de leite
6 bananas nanicas
1 limão

Chantilly

300g de nata ou creme de leite fresco
2 col. (sopa) de açúcar refinado
1 col. (café) de baunilha

Modo de Preparo:

Triture o biscoito em um processador ou liquidificador. Misture com a manteiga e forre uma fôrma de fundo removível de 23cm de diâmetro. Leve ao forno baixo, 150 ºC, por 15 min. Retire do forno e espere esfriar. Coloque o doce de leite. No meu caso usei um doce de leite argentino, que faz a diferença!

É o doce de leite Ilolay. Ele tem uma consistência maravilhosa e um cor super bonita, brillante!

Em seguida, fatie as bananas e esprema o limão para evitar que elas escureçam. Coloque em cima do doce de leite. Depois, faça o chantilly (e porque não usar pronto? Porque faz toda a diferente usar um chantilly caseiro, vai por mim!). No meu antigo blog ensino como fazer o chantilly. Cubra a torta e leve pra gelar.

Teatro da Vida

Partir para novas aventuras
Que o destino há de me levar.
Que a vida não é só desventura,
Que o amor também não é só pesar.

Quantos caminhos podem existir?
Que buscam meus pés tateantes?
Há um lugar que pertence a mim?
Um lugar do qual sou habitante?

A vida é só um grande teatro
Que do roteiro não se sabe o fim
E o que ao final do espetáculo

O ator volta ao seu camarim
E o cocheiro irá a luz apagar.
Calma, outra sessão amanhã terá.